sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

A mansão, de Willian Faulkner - volume 3 da trilogia Snopes - Cap. 7

Ainda com narração de Ratliff, conta como Gavin Stevens o convence a acompanhá-lo na visita à Linda em Greenwich Village, NY, onde encontrarão também o seu companheiro, o escultor Kohl. O advogado convida ainda McCarron, a quem será dado conhecer a paternidade de Linda. 

O que é interessante notar neste capítulo é que, nas conversas entre Ratliff e Stevens, Greenwich Village é descrita como o lugar onde se realizam os sonhos, e que as escolhas de Linda, como o local onde decidiu morar, que é considerado um reduto de artistas e centro da contracultura norte-americana, e o próprio companheiro - Kohl é um artista e adepto das ideias comunistas -, parece querer negar o seu passado em Jefferson, uma pacata e provinciana cidade sulista. 

Um comentário de Ratliff também nos chama atenção para a intenção de Gavin de ainda tentar consertar a vida de Eula mesmo após a sua morte. Seu encontro com McCarron poderia ser mais tenso tendo em vista tratar-se daquele que engravidou aquela a quem ele dedicava a sua devoção e a abandonou para ser assumida por Flem Snopes. No entanto, ele parece agir com a naturalidade de quem apenas cumpre uma obrigação pondo McCarron em contato com Linda. McCarron é um homem rico e bem sucedido, talvez Gavin estivesse tentando deixar Linda ainda melhor sob os cuidados do seu pai. Mas o fato é que ele faz McCarron prometer não contar nada a ela, o que não impede a moça de deduzir a verdade após acompanhar o pai biológico em um passeio de carro pela cidade. Ela tenta confirmar com Gavin, que nega, mas não consegue convencê-la.

No capítulo há ainda uma menção a uma visita de Ratliff ao caminho percorrido pelos seus antepassados V. K., mas isso eu vou precisar reler para compreender porque não ficou claro.

A mansão, de Willian Faulkner - volume 3 da trilogia Snopes - Cap. 6

O primeiro capítulo da segunda parte intitulado Linda é narrado por Ratliff, que faz uma retomada da história de Eula relacionando-a à do advogado Gavin Stevens, como a história de um amor platônico e impossível por parte do segundo, já que quando conheceu Eula ela já era casada e mãe de uma criança. Ratliff narra como, mesmo assim, foi feito o pacto feito entre eles naquela idade em que, aos 19 anos, segundo ele, era "como se a gente visse finalmente a mulher deve ser nossa pelo resto da vida, só que já era tarde". 

V. K. reconta a história já narrada no livro 2 da trilogia de como Eula engravidou de McCarron, acabou esposa de Flem e foi parar em Jefferson, se tornando amante de De Spain, enquanto Stevens mantinha por ela a devoção de sempre, que Eula depois utiliza para tentar convencer o advogado a tomar sua filha Linda como esposa, para protegê-la de Flem depois de sua morte, já que planejava secretamente suicidar-se. Vale dizer que Stevens procurava salvar Linda do que ele chamava de snopismo (mau caratismo da família Snopes) desde os 14, dando-lhe livros e conversando com ela na sorveteria numa frequência de 2 vezes por semana. Seu plano era mandar Linda para estudar em outra cidade, onde poderia conhecer um bom moço com quem pudesse se casar e se livrar de vez da influência de Flem. No entanto, Flem tenta de todas as formas segurar Linda, já que esperava por meio dela receber a herança do avô Will Varner. A situação só é contornada já perto do suicídio de Eula, quando Linda concorda em assinar um testamento deixando para Flem o que viesse a receber de Will Varner. 

Com a morte de Eula, contudo, outras negociações se dão, de modo que Stevens consegue proteger a herança de Linda de Flem, que por sua vez, consegue a presidência do Banco e se apossa da casa de De Spain, que concordou em sair da cidade para não mais voltar. Por fim, Gavin toma todas as providências para o funeral, como se fosse ele o próprio viúvo querendo prestar as homenagens à esposa morta, incluindo aí uma lápide encomendada da Itália, que deveria reproduzir a face da finada. Linda vai finalmente para Nova York onde, já nos é adiantado, conhecerá o marido judeu, a quem acompanhará na guerra onde ficará viúva e surda antes de voltar a Jefferson.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

A mansão, de Willian Faulkner. Volume 3 da Trilogia Snopes - Parte 1


O livro é composto por três partes ou livros. O primeiro trata de Mink, voltando aos dias que precederam o assassinato de Houston cometido por ele, passando por relatar como enfrenta os anos de prisão e de como Flem trama para que ele passe mais 20 anos preso com a ajuda de Montgomery Ward. Termina com ele saindo da prisão totalmente desconectado com o mundo que encontra fora dela. 

O livro dois trata da volta de Linda Snopes, que volta à cidade após perder o marido e a audição na guerra. Como ainda estou começando a leitura não tenho como resumir ou comentar, mas pelo lido até aqui, presumo que terá destaque o promotor Gavins e seu sobrinho Chick, agora um estudante de Harvard. 

Já o livro três vai tratar de Flem - provavelmente sua decadência e morte, a julgar pelos comentários da orelha do livro - que achei bem pobre aliás. 

O começo deste segundo livro volta a retratar Eula como um fenômeno da natureza, como uma personagem trágica que tem seu destino selado por sua beleza e pela volúpia que despertava nos homens. No entanto ela não é descrita como uma vítima, é mais descrita pelos narradores como uma ameaça aos homens e à paz de Frenchmans Bend e, depois, de Jefferson. Ao que parece, Linda herdará essa maldição da mãe, pois Chick é descrito como um homem que quer ser estrangulado, ter o direito de ser envolvido nesta maldição de Linda, que é comparada a Lilith mitológica.

Como iniciei as anotações já a partir da leitura do livro dois, quando for fazer a conclusão ou resenha das minhas impressões sobre o livro como um todo falo um pouco mais da parte dedicada a Mink.

Até breve!